Rua Domingos Façanha, 107 - Centro, Maranguape - Ceará | Fone: (85) 3341.0512

Paróquia Nossa Senhora da Penha

Maranguape - Ceará

(Rumo aos 169 anos de evangelização em nossa cidade)

MEPAS

sábado, 29 de julho de 2017

MINISTROS EXTRAORDINÁRIOS DA PALAVRA – MEPA

1. Fundamentação:

Como afirma o próprio Direito Canônico, ao se referir aos ministérios extraordinários confiados aos leigos: “Cân. 759 – Em virtude do Batismo e da Confirmação, os fiéis leigos são testemunhas da mensagem evangélica mediante a palavra e o exemplo de vida cristã; podem também ser chamados a cooperar com o Bispo e os presbíteros no exercício do ministério da palavra. Cân. 760 – No ministério da palavra, que deve basear-se na Sagrada Escritura, na Tradição, na Liturgia, no Magistério e na vida da Igreja, seja proposto integral e fielmente o mistério de Cristo.”

2. HISTÓRICO

Entre os anos de 1962 à 1965, por inspiração do Espírito Santo, o Papa João XXIII convocou o Concílio Vaticano II, onde entre os objetivos destacam-se a renovação da Igreja, uma Igreja mais servidora, e uma maior participação de todos, pois a Igreja é de todos.

Como um dos frutos deste Concílio, em 1964, foi promulgado a Constituição Dogmática Lumen Gentium sobre a Igreja, onde em seu Capítulo IV, o Concílio traz luzes sobre a participação dos leigos na Igreja.

Sobre os leigos, o documento afirma que: “Além desse apostolado, comum a todos os fiéis, os leigos podem ainda ser chamados de diversos modos, a cooperar de maneira mais imediata com o apostolado da hierarquia, a exemplo dos homens e mulheres que, trabalhando muito no Senhor, ajudaram o apóstolo Paulo na evangelização (cf: Fl 4,3: Rm 16,3ss). Podem ser chamados, finalmente, pela hierarquia, a assumir certas funções eclesiásticas, que visam diretamente a fins espirituais.” (LG 370)

Diante do exposto, em 1994, na 32ª Assembleia Geral da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) realizada em Itaici- SP, os Bispos aprovaram o Documento 52 da CNBB, Orientações para a Celebração da Palavra de Deus, onde segundo o Documento, as celebrações da Palavra de Deus tem por finalidade “assegurar às comunidades cristãs a possibilidade de se reunir no domingo e nas festas, tendo a preocupação de inserir suas reuniões na celebração do ano litúrgico e de as relacionar com as comunidades que celebram a Eucaristia.”

Em 2012, a Arquidiocese de Fortaleza aprova o seu  Diretório Pastoral Litúrgico – Sacramental, onde no ANEXO III (pg. 64) foram elencadas Normas e Orientações para os Ministros da Palavra. Neste mesmo ano, iniciou-se a formação da primeira turma de Ministros Extraordinários da Palavra da Região Episcopal Sagrada Família, composta de 100 candidatos da Região, dos quais 18 eram da Paróquia Nossa Senhora da Penha de Maranguape, a Paróquia que enviou o maior número de candidatos.

Em 2013, nas Festas de São Sebastião, os novos Ministros da Palavra foram apresentados a Paróquia Nossa Senhora da Penha e iniciaram a sua missão nas Comunidades sob a Coordenação do MEPA Antônio Neto, que ficou a frente do grupo até Outubro do mesmo ano, quando foi eleito o MEPA Alexandre Cabral, que Coordenou o grupo até Setembro de 2016, quando assumiu o MEPA Raimundo Nonato, o atual Coordenador.

Atualmente o grupo dos MEPAs é composto de 19 Ministros, são eles:

1. Alisson Rocha;
2. Antônio de Oliveira Sousa Filho (Júnior);
3. Antônio Marcos Campos Pereira;
4. Cecília Barbosa;
5. Carlos André Silva Santos;
6. Edson Antônio Monteiro;
7. Francisco Jacinto Miranda;
8. Francisco Jucier Cordeiro de Abreu;
9. Francisco Mardônio Ferrerira;
10. Francisco Nicodemos Lima;
11. Francisco José Lôbo de Oliveira;
12. Gerson de Sousa Franco;
13. João Batista Silvestre Silva;
14. Jorge Luiz Gaspar Mota;
15. José Ivanildo Coelho (Nildo);
16. Leandro Martins;
17. Maria Cristiânia Costa Cavalcante (Tiana);
18. Raimundo Nonato Rodrigues de Sousa (Coordenador);
19. Valdisa de Andrade Barbosa;

Atualmente, a Paróquia Nossa Senhora da Penha conta com 09 candidatos que se encontram em processo de formação na Região Episcopal Sagrada Família, e que deverão ser investidos em novembro.

3. Critérios para escolha dos candidatos:

Só podem ser admitidas ao Ministério Extraordinário da Palavra pessoas que preencham os seguintes requisitos:

• Pessoa humana madura em seu ser e relacionamentos, que tenha no mínimo 21 anos de idade.

• Cristão que tenha realizado toda a iniciação cristã: Batismo, Crisma e Eucaristia.

• Se tiver vida conjugal, que tenha recebido o Sacramento do Matrimônio e nele viva coerentemente sua fé.

• Tenha vida de oração, prática habitual do sacramento da reconciliação, da comunhão sacramental e testemunho de fé e caridade.

• Manifeste espírito comunitário comprovado, pela participação assídua nas missas e outras atividades comunitárias, bem como pelo serviço aos irmãos e promoção da unidade;

• tenha grau de instrução humana e religiosa capaz de exercer o respectivo ministério;

• goze de boa reputação na comunidade e, se for casado, mantenha vivência conjugal e familiar cristã;

• tenha disponibilidade de participar do curso inicial de formação e se comprometa a continuar a sua formação participando

das atividades programadas para tanto, pela própria comunidade, Região Episcopal ou Arquidiocese;

• não seja nomeada pessoa que poderia fazer do seu cargo ministerial meio de promoção ou político;

• o candidato seja previamente consultado, sobre a aceitação do ministério e, sendo casado, haja anuência do cônjuge e dos filhos.

4. Deveres do MEPA:

Deverá ser empenho constante do Ministro Extraordinário da Palavra:

• Estar sempre preparado para pregação da Palavra de Deus, tarefa em que apresenta aos fiéis o que se deve crer e fazer para a glória de Deus e a salvação dos homens, de acordo com a doutrina da Igreja.

• Ter zelo pela leitura orante diária da Sagrada Escritura.

• Preparar-se por contínuo estudo da Palavra de Deus e doutrina da fé.

• Estar em profunda sintonia com o projeto pastoral da Igreja, em sua Paróquia ou Área Pastoral, na Região Episcopal e na Arquidiocese.

• Comportar-se sempre como leigo cristão consciente e coerente com sua própria vocação.

• Procurar aprofundar seu conhecimento e vivência na liturgia da Igreja.

• Presidir a celebração da Palavra e pregar a Palavra de Deus na igreja ou capela da comunidade, sempre que lhe couber.

• Presidir a celebração sempre com respeito e atitude orante, promovendo a participação de todos.

• Usar adequadamente as palavras de modo que elas sejam acolhidas com amor.

• Ser zeloso e educado no trato com as pessoas, acolhedor de todos sem distinção e dedicado à edificação da comunhão eclesial.

• Conversar sempre com o padre sobre alguma dúvida surgida durante a celebração ou sua preparação.

• Exercer o ministério com gratuidade e fé como um chamado de Deus para o crescimento da comunidade.

• Participar sempre dos encontros e formações promovidos especialmente os que se destinam aos Ministros Extraordinários da Palavra.